Uma obra que permaneça

16/12/2013

Acabei de embarcar um grupo de 07 pessoas, intercessores, que vieram a Israel, para orar, para responder ao chamado de Deus, e por meus relacionamentos, e pelo amor que tenho pelo povo judeu, de alguma forma tenho sido chamado para ajudar.

 

Estivemos em diversos lugares extraordinários, e muitas vezes pensei, eu vim por causa deles, ou eles vieram, por causa de mim, porque em cada lugar, ainda que havia a preocupação com segurança, com os horários, em contar o que historicamente ali aconteceu, e procurando sempre trazer Luz de Revelação que Deus me tem permitido enchergar... A nítida sensação, de que quem mais se divertiu fui eu. 

 

Cada lugar, uma surpresa, cada pessoa que conheci uma história nova, e cada pedra... Cada Pedra uma nova revelação...

 

 

 

Há hoje, sob os bairros cristão e árabe, da cidade velha de Jerusalém, escavações, que correm paralelas ao Muro Ocidental, O Kotel, (Muro das Lamentações), no sentido Sul --> Norte. Já estive ali, com minha esposa e filhos, tempos atrás, e o que vi, desta vez, e as explicações foram as mesmas, mas, derepente, algo veio ao meu coração... Algo divino fluiu, do Sobrenatural, para a minha mente....

 

Não obstante, O Altar dos Sacrifícios, no Templo ter a Ordem de Deus, de ser edificado com Pedras "NÃO TALHADAS", pedras como estão na natureza, O Templo em Si, e as estruturas que o cercavam, deveriam ser edificados com Pedras Lavradas. Porém, não se podia ouvir o ruído de ferramentas, no Local da Edificação do Templo. As pedras deveriam ser talhadas na Pedreira, de onde foram cortadas, e trazidas apenas para que fossem encaixadas, na edificação daquela Casa para que A Presença de Deus, pudesse se manifestar no meio do Seu Povo.

 

A Pedra, que fotografei, acima, juntamente com outras centenas delas que resistem a estes três mil anos, foram feitas segundo esta descrição. Pedras, cortadas de maneira que pudessem encaixar umas nas outras, e que com um cuidado artístico, como alguém que quer deixar sua assinatura para as futuras gerações, como uma mãe que põe o diploma de um filho que formou-se numa linda moldura e o põe na parede principal da sua Sala de Estar, esta Pedra que fotografei, tinha uma moldura, esculpida na Rocha, cuidadosamente retilínea, trazendo e destacando esta obra de milênios... Ah como o meu coração queimou nesta hora!

 

Alguém? Alguém que hoje jamais saberemos quem foi, certamente com a ajuda de muitos, com uma marreta e um formão, trabalhou duro, para que esta Pedra sacada da Rocha, fosse trabalhada, para ser ali colocada, na edificação de uma Casa para Deus... Quando O Apóstolo Pedra, (quer dizer Pedro), nos chama de "Pedras Vivas", creio que é disto que ele está falando. Pedras, escolhidas trabalhadas, e trazidas para a edificação de uma Casa para Deus, no nosso caso, uma Casa Espiritual!

 

Ah eu não sou maçom, viu! Mas, descobri, na verdade eu já sabia! Mas, ao olhar esta Pedra, e ao meditar sobre todas estas coisas... O entendimento queimou em meu coração: Eu sou um destes edificadores, apenas um entre milhares que nesta geração Deus, tem levantado. O importante não é o edificador, mas, Aquele que é a Pedra Fundamental desta Construção: A Pedra, que não foi cortada por mãos humanas: Jesus Cristo de Nazaré, Yeshua HaMashiach! Sou Pedra, sacada da Rocha, que é Cristo, e ao mesmo tempo, fui chamado também para auxiliar na Edificação desta extraordinária Casa. A Casa onde O Nosso Deus deseja habitar!

 

Que chamado mais extraordinário! Que obra mais digna!

 

Eu não sei que foi a pessoa que esculpiu esta pedra, mas, a obra desta pessoa, tem perdurado por milênios... Eu quero trabalhar com todo o meu coração, neste chamado de Deus, o que importa é que Ele cresça e que eu diminua. O que importa, é que Ele tenha morada, perto de mim, e quem pode trabalhar para que esta bênção se manifeste sou eu.

 

Eu quero poder trabalhar numa obra que perdure, numa obra que permaneça, numa obra que se perpetue... Não, coisas de plástico, de autarotatividade não dá, não é pra mim. Talvez muitas pessoas que me conheceram, nem sequer se lembrem do meu nome, ou que quando em vez, lembrem de situações, nas quais estava envolvido, mas, que as obras que Deus me chamou para realizar, possam perdurar pela Eternidade!

 

Quero talhar, cortar, lixar, emoldurar, quero, carregar, levar, conduzir, estas Pedras vivas, todas também sacadas da Rocha que é Cristo, agora juntas no Templo de Pedras Vivas, onde Cristo, virá habitar: Igreja, a Noiva do Cordeiro.

 

Ainda que os milênios passem desta geração, que pessoas possam dizer, a meu respeito e do trabalho para o qual fui chamado: Que obra linda, Que dedicação. O esforço valeu à pena! Talvez perguntem: Quem será que foi, o trabalhador que fez esta obra? Talvez, como eu diante daquela Pedra Emoldurada, não haja resposta, mas, uma coisa eu tenho certeza:

 

O Dono desta Casa, sabe meu nome, e eu só o estou servindo, porque Ele perdoou os meus pecados, e transformou a minha história! Que seu Nome seja Bendito Eternamente, e que eu possa adorá-lo com as obras das minhas mãos, o dobrar dos meus joelhos, o abrir da minha boca, o levantar das minhas mãos...

 

A obra de ensinar, e de apresentar a Cristo à esta geração; a Gloriosa obra de mobilizar adoração Ao Único que é digno; A obra de ensinar, treinar, corrigir, disciplinar e também de motivar, e de lançar como uma flecha sacada de uma aljava, é a coisa mais gloriosa e a maior honra que alguém poderia receber... Que O Poder de Deus, alcance a todos vocês! E que o nosso trabalho em Deus que não é em vão, possa ser perpetuado, por toda as tuas gerra gerações.

 

Paulo de Tarso, Apóstolo

Please reload

Destaques

Da Apatia para o Zelo - O CAMINHO DA RESTAURAÇÃO

1/5
Please reload

Posts mais recentes

August 16, 2018

March 18, 2018

Please reload

Pesquisa por Tags
Siga-nos
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic