6ª LUZ - HANUKAH BETLEHEM

 

Jo.: 10 - 7 a 9 - "Jesus, pois, lhes afirmou de novo: Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não lhes deram ouvido. Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem."

 

Jo. 10: 22 e 23 - "Celebrava-se em Jerusalém a Festa da Dedicação (HANUKAH). Era inverno. Jesus passeava no templo, no Pórtico de Salomão."

 

Um dos textos mais conhecidos da Bíblia é justamente esse, em que Jesus apresenta-se como o Bom Pastor, aquele que dá a sua vida por suas ovelhas.

 

O que não é comum é identificar esta verdade com a Festa de Hanukah. O que uma coisa tem a ver com a outra?

 

É sabido que Jesus não nasceu em dezembro, época em que em Israel está muito, muito frio. Pelo contrário, na época de seu nascimento, ali, há poucos quilômetros de Jerusalém, na cidadela de Betlehem, os pastores estavam de madrugada, nos campos com suas ovelhas, quando os anjos dos Céus apareceram e cantaram adorando a Deus e anunciando que o Messias Glorioso de Israel havia nascido.

 

Em dezembro aonde estão as ovelhas? Nos apriscos naturalmente, protegidos do frio, conduzidos pelos pastores nos momentos difíceis pelos quais todos passam.

 

Quando Deus chamou a David, um pastor de ovelhas para ser rei de Israel, fez com que as figuras deste relacionamento se tornassem muito comuns nas Escrituras, pois a total falta de condições de se defender de predadores, faz a ovelha um animalzinho dependente demais dos pastores, aqueles que as irão proteger, conduzir até locais de alimentação, de repouso e onde irão matar sua sede. Dependência semelhante a que nós temos de Deus.

 

Pois esta figura de relacionamento notabilizou-se como uma figura para identificar como Deus nos vê. 

 

Uma das terríveis críticas de Deus aos pastores, aos líderes de seu povo, é direcionada para aqueles que não cuidam das ovelhas que lhes foram confiadas, pelo contrário, cuidam apenas do seu próprio ventre! Acham que as ovelhas existem para alimentá-los, para lhes dar lã, carne, leite, e mais nada...

 

Pois Jesus, O Bom Pastor, veio justamente para arrebanhar as ovelhas dispersas, aquelas que foram abandonadas, por falsos pastores! Pelo contrário, o Pastor das ovelhas de seu pai, David, cantava ao Nosso Deus, dizendo: "Tu és o meu Pastor e nada me faltará!"

 

David não era dono das ovelhas, as ovelhas pertenciam ao seu pai. David não achava que as ovelhas deveriam cuidar dele. Ele por duas vezes para livrar uma única ovelha das garras de um leão e de um urso, lutou contras estas feras, pondo sua própria vida em risco, pela vida de uma ovelha...

 

Pois não é de se estranhar que Deus tenha chamado alguém assim, para conduzir o seu povo, as ovelhas do seu Rebanho de Israel.

 

Aquele inverno era o último de Jesus neste mundo. Poucos meses depois ele, no início da Primavera, na Festa da Páscoa, se entregaria à morte por amor de nós todos.

 

Pois neste último inverno, Jesus fala que Ele é a Porta das ovelhas. Quem não passar por Ele, é ladrão e salteador, em outras palavras: Quem não se identificar com o Cordeiro de Deus, quem não for ovelha... É LOBO! É ladrão!

 

Aonde Jesus estava quando disse estas coisas? Em Jerusalém, no Templo, no Pórtico de Salomão... Na Porta daquele APRISCO para o seu povo, o povo judeu, a Casa de Deus, lugar de refúgio... ELE É A PORTA DAS OVELHAS!

 

Sempre haverá inverno, mas, sempre haverá primavera!

Houve a morte, mas, na manhã do terceiro dia a Ressurreição!

Jesus que nos conduz para o aprisco, nos levará de volta aos campos.

Há momentos para a reclusão e para a introspecção e há momentos de saltar de alegria e de se multiplicar.

 

Ele nos conduzirá sempre!

 

Jo.: 10: 14 a 18 - "Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim, assim como o Pai me conhece a mim, e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. Ainda tenho outras ovelhas, não deste aprisco; a mim me convém conduzi-las; elas ouvirão a minha voz; então, haverá um rebanho e um pastor. Por isso, o Pai me ama, porque eu dou a minha vida para a reassumir. Ninguém a tira de mim; pelo contrário, eu espontaneamente a dou. Tenho autoridade para a entregar e também para reavê-la. Este mandato recebi de meu Pai.

 

Você e eu, somos estas outras ovelhas que não eram o Aprisco de Israel.

 

Por isso não amadas?

Pelo contrário! Muito amadas!

 

Deus é Amor! E Deus é Infinito e Eterno!

Ele não precisou tirar Amor do povo judeu, para dar a nós, suas ovelhas entre os não judeus.

Ele nos ama e jamais deixou de amar ao povo que Ele criou desde Abraão, o Pai da Fé.

 

Haverá então um só Rebanho, a separação entre judeus e não judeus já caiu... Dos dois povos que ouviram a Sua Voz e que se deixaram conduzir por Ele, O Eterno fez um só povo! Ouviremos a Sua Voz e seremos por Ele conduzidos.

 

 

Ele é o Nosso Único Pastor!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Destaques

Da Apatia para o Zelo - O CAMINHO DA RESTAURAÇÃO

1/5
Please reload

Posts mais recentes

August 16, 2018

March 18, 2018

Please reload

Pesquisa por Tags
Siga-nos
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic
  • Google Classic