SHAVUOT

A Palavra SHAVUOT, é uma palavra hebraica plural da palavra "SHAVUA" que quer dizer: "SEMANA", ou seja SHAVUOT é a Festa das ''SEMANAS". Recebe este nome porque quando o povo hebreu saiu do Egito momento em que surge a Festa de PÊSSACH, sete semanas se passam até que o povo chegue no Monte Sinai, local onde Deus entregou as tábuas da Lei.



É interessante notar que na primeira vez que Deus fala desta Festa, O Senhor a chama de Festa da Sega, ou da Colheita dos primeiros frutos do trabalho.



Quais são os significados de SHAVUOT e porque para nós é tão importante celebrá-la?



Bem, seus significados falaremos a seguir, porém não podemos esquecer, que o maior motivo de celebrarmos as Festas é este: Porque Deus ordenou!

"Três vezes no ano me celebrareis Festa." (Ex.: 23:14)

Pense nos descendentes de Abraão, Isaque e Israel lá no Egito escravos e sendo terrivelmente maltratados pelo Faraó. Quais eram seus direitos? Quais suas garantias individuais? Quais suas esperanças como povo? E principalmente: O que será que a palavra Liberdade significava para eles?



Escravos não têm direitos. Só possuem obrigações! A esperança de escravos é gerar outros escravos. Não existe liberdade e então não há garantias individuais, não há individualidade, não há leis. Escravos não têm Leis próprias. A Única Lei é: Servir ao seu senhor.

Mas, Aleluia! Deus tirou seu povo de debaixo das cargas do Egito e os livrou da sua servidão. Agora todo o povo hebreu caminhava para a Terra prometida como homens livres, porque O Deus Todo Poderoso os havia libertado. Sete semanas depois de tão grande Libertação, depois de quarenta e nove dias, ou seja, no quinquagésimo dia, algo sobrenatural aconteceu:

"Ao amanhecer do terceiro dia, houve trovões, e relâmpagos, e uma espessa nuvem sobre o monte,

e mui forte clangor de trombeta, de maneira que todo o povo que estava no arraial se estremeceu.

E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.

Todo o monte Sinai fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo;

a sua fumaça subiu como fumaça de uma fornalha,

e todo o monte tremia grandemente.

E o clangor da trombeta ia aumentando cada vez mais; Moisés falava,

e Deus lhe respondia no trovão." (Êxodo 19:16-19 RA)

"Todo o povo presenciou os trovões, e os relâmpagos, e o clangor da trombeta,

e o monte fumegante; e o povo, observando, se estremeceu e ficou de longe." (Êxodo 20:18 RA)

Foi tão grandiosa e terrível a manifestação da Glória de Deus no Monte Sinai, que jamais o povo se esqueceu, mas, o mais importante é, o que, Deus entregou para o seu povo naquele dia: As tábuas da Lei. O que de tão importante há nisto? Apenas um povo livre pode ter Constituição, Leis, ordenamentos. Enfim o povo de Deus estava livre para edificar um Reino para O Senhor Nosso Deus. Outro importante aspecto: Até então Deus havia se relacionado em cada geração que tinha vivido desde Adão, com uma ou no máximo duas pessoas, ou até talvez com uma família em cada geração. Agora Deus liberta um povo que passa a ser Seu povo, e pela primeira vez A Palavra de Deus é transmitida, para um povo, para uma nação inteira. Todo um povo agora conhecia a Vontade de Deus. Os planos de Deus que foram aparentemente destruídos no Paraíso por causa do pecado, agora pareciam tornar-se realidade, porque, Deus tornara-se Deus para este povo, e este povo agora era O Povo de Deus. Tudo isto passou a acontecer Sete Semanas depois que o povo saiu do Egito.



É maravilhoso, o que Deus fez para o seu povo ali no Monte Sinai, porque uma Esperança tremenda estava sendo dada ao povo. Quando Deus pede que todos os anos, o povo se reúna para celebrar Festas para Deus, veja a profundidade que há nisto:

1º - Só celebra Festas quem está alegre. E então Deus queria dizer: Eu darei motivos para se Alegrarem na minha Presença.

2º - O povo era escravo e tornou-se Livre, porém todos estavam num deserto.

Note bem as Festas: Festa da Colheita dos primeiros Frutos, depois disto, Festa da Colheita à saída do ano. Entendem?!

Deus está dizendo, vocês passarão por este deserto e irão para uma terra fértil, que será de vocês. Lá, plantarão e colherão e anualmente celebrarão Festas pelo sucesso destas colheitas.

Vamos agora viajar pela história. Deus entrega sua Palavra ao povo cerca de Mil e Seiscentos anos antes de Jesus vir a este mundo. No transcorrer deste longo período, o povo hebreu, ficou quarenta anos perambulando no deserto, por causa da rebeldia do próprio povo; entrou e conquistou a Terra Prometida. Teve muitos altos e baixos, devido às constantes quedas provocadas sempre pela rebeldia contra Deus, e pelos pecados de toda a nação. Reis foram levantados, bons como Davi e Ezequias e malignos como Saul, Jeroboão e Manassés. O Reino, ou seja, a Terra foi dividida entre dois Reinos Israel e Judá. Não houve arrependimento verdadeiro do povo e cerca de Seiscentos anos antes de Jesus, tanto o Reino do Norte Israel, como o do Sul Judá, foram vencidos, e todo o povo foi levado cativo, para A Babilônia, um Reino Malígno que personificava a influência de Satanás. Este reino foi sucedido por outros Reinos, porém nunca mais o povo de Deus, foi livre novamente, por causa da sua constante Rebeldia.

Reinos como o Medo-Persa, Grego surgiram e sumiram, até que o potente Império Romano surgisse trazendo uma opressão tão grande para o mundo e em especial para o povo de Deus, que clama todos os dias por um Libertador, que lhes havia sido prometido.

Jesus surge, e por mais que Ele ensinasse que O Reino de Deus, não é visível, não é deste Mundo, as pessoas queriam um Rei, um Ungido de Deus, que guiasse o povo e os Libertasse da opressão do Império Romano. João O Batista declara a respeito de Jesus: Ele é o Cordeiro de Deus que tira o pecado do Mundo, ou seja, Ele não nasceu para viver e sim para morrer. As pessoas não entendiam então que toda a Palavra de Deus escrita até então apontava para Jesus. Toda a Lei, foi cumprida em Jesus.

Todos os profetas profetizaram a respeito de Jesus. As Festas falavam a Respeito de Jesus. A Festa dos Pães Asmos fala que Jesus é O Santo de Deus, que ofereceu o seu corpo, sem nenhuma contaminação de pecado. Ele é O nosso Cordeiro Pascal, como disse o Apóstolo Paulo.

Lembremos: Jesus morreu no 1º dia da Páscoa. A Páscoa que falava da Libertação do povo do Egito, cumpriu-se em Jesus que realmente nos libertou para sempre da Escravidão do pecado simbolizado pelo Egito. No dia imediato ao Sábado, ainda nas comemorações da Páscoa se levava para o Sumo Sacerdote, os primeiros frutos que a Terra produzisse, para que fossem dedicados ao Senhor. Neste dia Jesus, como diz as Escrituras: "As primícias dos que dormem", foi ressuscitado! Aleluia.

A Bíblia nos conta que durante quarenta dias ainda esteve Jesus com seus discípulos, se encontrando com eles e ministrando alguns dos maiores segredos espirituais de toda a Bíblia. No último dia que Jesus passou aqui com seus discípulos houve uma ligeira discussão e muita falta de entendimento por parte dos discípulos:

" A estes também, depois de ter padecido, se apresentou vivo, com muitas provas incontestáveis, aparecendo-lhes durante quarenta dias e falando das coisas concernentes ao reino de Deus. E, comendo com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, a qual, disse ele, de mim ouvistes. Porque João, na verdade, batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias. Então, os que estavam reunidos lhe perguntaram: Senhor, será este o tempo em que restaures o reino a Israel? Respondeu-lhes: Não vos compete conhecer tempos ou épocas que o Pai reservou pela sua exclusiva autoridade; mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra. Ditas estas palavras, foi Jesus elevado às alturas, à vista deles, e uma nuvem o encobriu dos seus olhos."

(Atos 1:3-9 RA)

Às vezes fico pensando no desgosto que Jesus teve com algumas declarações de seus discípulos. Jesus lhes falava a respeito de coisas espirituais. Ele estava ali diante deles, depois de haver sido morto, e estava a lhes prometer o derramar do Espírito Santo, o mesmo Espírito que estava sobre ele, e então uma pergunta, infeliz: "Senhor, será este o tempo em que restaures O Reino a Israel?" Não estamos tratando de pessoas que não conheciam Jesus, mas, de discípulos que o estavam vendo depois de sua Ressurreição! Jesus parece que ficou bravo dizendo: "Não vos compete conhecer tempos ou épocas" (em outras palavras: Não te interessa!) O que realmente quero dizer-lhes é:

RECEBEREIS PODER, para serdes minhas TESTEMUNHAS, em Jerusalém, na Judéia em Samaria e até os confins da Terra. Depois de falar-lhes estas coisas, Jesus subiu aos céus e foi envolto pela Glória de Deus.

Seus discípulos e muitas outras pessoas que seguiam de perto a Jesus foram para Jerusalém e ficaram por lá, esperando o que eles não entendiam direito que lhes aconteceria.

Mais dez dias eles ficaram ali em Jerusalém esperando algo acontecer. Bem unindo o útil ao agradável, talvez os de menor fé pensassem: Olha, Jesus morreu e ressuscitou a pouco mais de quarenta dias atrás, já que eu vou ter de esperar mesmo, vou esperar então celebrando, porque em alguns dias será tempo de celebraremos a Festa das Semanas "SHAVUOT".

Um dos discípulos de Jesus chamado de O Discípulo Amado, talvez, pela intimidade que tinha com Jesus, conseguiu ver um pouco mais longe. Como estavam bem próximos dos dias de celebração da Festa das Semanas, que lembrava principalmente a entrega da Palavra de Deus, lá no Monte Sinai, também chamada de Festa da Colheita dos Primeiros Frutos, João pensava assim:

Como Jesus é Maravilhoso! Lá no deserto nossos Pais receberam A Palavra de Deus, os Mandamentos do Senhor. Todos os mandamentos, apontam para O Mestre Jesus, porque Ele e Nele se cumpriram todas as coisas. Realmente Ele é O Cordeiro de Deus que tira O Pecado do Mundo, mas além disto. Jesus também é a Palavra de Deus que tornou-se carne e habitou entre nós. Antes era uma promessa, um sonho, a respeito da vinda do Nosso Libertador, mas, Aleluia, este sonho tornou-se Realidade. (Vejam como João descreve isto no seu Evangelho).

" No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus...

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade,

e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai." (João 1:1 e 14 RA)

O que João não esperava é que nesta Festa que já tinha um significado tão especial, porque a Palavra havia ganhado vida através de Jesus, o fato de a Festa chamar-se da Festa da Colheita dos primeiros Frutos também tinha um sentido profético. Nesta época do Ano caem o que chamamos de As primeiras chuvas, chuvas em pouca quantidade, mas, essenciais para a colheita do trigo, que é realizado bem nestes dias.

O que aconteceu é que na madrugada, em que celebravam a Festa (Porque esta Festa celebra-se com uma vigília), algo tremendo aconteceu:



"Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

de repente, veio do céu um som, como de um vento impetuoso,

e encheu toda a casa onde estavam assentados.

E apareceram, distribuídas entre eles, línguas, como de fogo,

e pousou uma sobre cada um deles.

Todos ficaram cheios do Espírito Santo e passaram a falar em outras línguas,

segundo o Espírito lhes concedia que falassem." (Atos 2:1-4 RA)

O Espírito de Deus que veio sobre Jesus no dia em que Ele foi batizado nas águas, agora estava distribuído sobre todos aqueles que se encontravam ali. O mesmo poder que estava sobre Jesus e que Ele garantiu que viria sobre os remidos pelo seu Precioso Sangue, agora havia sido derramado, naquele lugar. Todos foram cheios do Espírito Santo.



Entendemos logo um princípio espiritual. A Palavra de Deus, não pode ser desassociada do Espírito de Deus, porque é o Espírito que vivifica a Palavra. Deus escolhe enviar O Espírito Santo, no dia em que comemoravam que a Palavra lhes havia sido entregue no deserto, e mais ainda, que A Palavra, tinha se feito carne e habitado entre eles. É tremendo demais!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Em poucas horas depois que isto ocorreu, toda a cidade de Jerusalém foi impactada com este poder e com a pregação de Pedro. Um pescador, que era inconstante, que havia negado a Jesus três vezes, agora CHEIO DO ESPÍRITO SANTO, prega e três mil homens se convertem, talvez uma multidão de quase 10.000 pessoas, se converteram ali, imediatamente e foram batizados, pela manifestação do Poder de Deus. Entendem isto? A Festa da Colheita dos Primeiros Frutos?

Hoje quando celebramos esta Festa, nos regozijamos em saber que as primeiras chuvas do Espírito Santo já caíram, que os primeiros frutos já foram colhidos, que sabemos sobre os Dons do Espírito Santo, sobre o Fruto de Espírito. Nos alegramos quando somos usados por Deus através do seu Poder, porém estamos aguardando ansiosamente o derramar das últimas chuvas, para a Colheita do fim do Ano, em que saquearemos o inferno e encheremos o céu.

Saiba: As Festas de SHAVUOT assim como o PÊSSACH, já se cumpriram, por isso se você, já recebeu Jesus, O Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo, em seu coração, então, seja cheio do Espírito Santo de Deus, porque as primeiras chuvas já caíram. O Poder tem um único objetivo, sermos testemunhas, não com palavras de conhecimento humano, mas de manifestação do Poder de Deus. Viva isto!

Como celebramos hoje esta Festa?

Com uma vigília, em que adoraremos a Deus, seremos ministrados na Palavra, e oraremos agradecendo a Deus pelo derramar de quase dois mil anos atrás, e para dizer: Deus, eu quero, preciso, espero e creio que O Senhor têm muito mais para minha vida hoje. Porque está escrito que: "A Glória da Segunda Casa será maior que a da primeira". A primeira chuva foi para a Colheita dos primeiros frutos. Quantos habitantes havia na Terra, naqueles dias? Hoje somos mais que seis bilhões. Deus há de derramar Poder proporcional, à necessidade que temos hoje de cumprir a ordem de Jesus: "Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda a criatura... e estes sinais seguirão aqueles que crerem: Em meu Nome..."

Pense nisto: Lá no Sinai, toda a montanha tremeu, uma nuvem densa e negra, trovões, relâmpagos, o toque do Shofar dos anjos de Deus, a montanha tremia... Na madrugada da Festa de SHAVUOT, um Som como de um vento impetuoso, línguas de fogo distribuídas sobre todos que estavam lá...

O que Deus fará se O buscarmos com todo o nosso coração? Se abandonarmos o Egito e suas influências, indo em direção ao Monte Sinai para recebermos sua Palavra, e ficarmos na Presença de Deus (Em Jerusalém), até que do alto sejamos revestidos de Poder? Nossa vida será "chacoalhada" e seremos "sapecados" pelo FOGO DE DEUS!!!!!!

Eu quero! E Você?

Prepare um cesto de frutas, com os frutos que você mais gosta, e traga como uma oferta profética ao Senhor, declarando com isto, que uma grande colheita está se iniciando, na sua família, entre seus amigos, e na nossa nação. Venha estar conosco nesta próxima Celebração de Shavuot e seja cheio do Poder e da Virtude do Espírito Santo do Deus Vivo e da Palavra que Liberta: Jesus, A Palavra que se fez carne e habitou entre nós.